O Escudo

Moedas, selos, histórias do quotidiano e outros coleccionáveis.

sexta-feira, maio 11, 2007

Para ti

Tudo mudou há um ano. Com o teu inconfundível sorriso, partiste. E por cá ficaste. No nosso meio. E nós por cá. Contigo e sem ti. Com o que és e com o deixaste. O teu sorriso. A tua bondade. E as palavras que disseste. Que não esqueço. Nunca. Obrigado. Até sempre.
E depois desse dia descobri uma música que me leva a ti. Uma vez. Outra vez. Sempre. A ti.
“Tu não sabes” – Pedro Abrunhosa
Tu não sabes
Quanto tempo vais poder
Dizer: Este sou eu
Gritar que o chão é teu,
Tu não sabes,
Que o céu chama por ti,
Quando a noite te sorri,
Quando as pétalas se abrem
Só por si,
Tu não sabes.
Tu não sabes
Quanto tempo irás pedir
Quando o sangue te fugir,
Quando o punho se fechar
Sobre ti
Tu não sabes,
Que o sonho não morreu
Quando o beijo se perdeu,
Que a manhã não acabou
Só por nós,
Tu não sabes.

Que palavras vais usar

Quando o sono não vier,
Quando a noite te disser:
"Vem comigo".
Que locura irás dizer
Quando a mão que te apertar
Te pedir para ficares
Só mais um dia,
Tu não sabes,
Tu não sabes,
Tu não sabes.

Tu não sabes

Quantos rios se vão deter,
Quantos olhos vão beber
Nas palavras que colaste
Junto ao peito,
Tu não sabes,
Que os teus dedos são já meus,
Que se vão fechar nos teus,
Quando os barcos se despedem,
Na maré,
Tu não sabes.

2 Comentários:

Às 12/5/07 , Blogger G.R. disse...

Aqueles a quem amamos alcançam a imortalidade.
Um grande abraço!

 
Às 14/5/07 , Blogger A.M. disse...

G.R., eu sei que sabes a quem me referia. Não posso estar mais de acordo contigo.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial