O Escudo

Moedas, selos, histórias do quotidiano e outros coleccionáveis.

sábado, fevereiro 14, 2009

A Ti


Ó minha casta esposa
vais sofrendo... E eu sofro
de ver-te sofrer!
Espera um pouco! Façamos
como o caule da rosa
des-
fo-
lhada.




Nosso convívio é triste. A vida, errada.
Só a tortura existe e o poema é.
Ah
TENHO A ALMA CHEIA DE GAROTOS.
Não queiras ah não queiras vir comigo
para esta atmosfera de chimpòzé.


Poema: " A ti" de Mário Cesariny.
Foto: Sem título, de Elliott Erwitt, Magnum Photos

0 Comentários:

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial