O Escudo

Moedas, selos, histórias do quotidiano e outros coleccionáveis.

terça-feira, agosto 14, 2007

Dia Ibérico da Confraternização

Hoje é dia de festa em toda a Ibéria. Enquanto uns festejam a vitória de D. João I na Batalha de Aljubarrota (1385), outros gritam olés por mais um aniversário da morte do mesmo D. João I (1433).


28«Deu sinal a trombeta Castelhana,

Horrendo, fero, ingente e temeroso;

Ouviu-o o monte Artabro, e Guadiana

Atrás tornou as ondas de medroso.

Ouviu[-o] o Douro e a terra Transtagana;

Correu ao mar o Tejo duvidoso;

E as mães, que o som terríbil escuitaram,

Aos peitos os filhinhos apertaram.

...

30«Começa-se a travar a incerta guerra:

De ambas partes se move a primeira ala;

Uns leva a defensão da própria terra,

Outros as esperanças de ganhá-la.

Logo o grande Pereira, em quem se encerra

Todo o valor, primeiro se assinala:

Derriba e encontra e a terra enfim semeia

Dos que a tanto desejam, sendo alheia.

...

44 «Alguns vão maldizendo e blasfemando

Do primeiro que guerra fez no mundo;

Outros a sede dura vão culpando

Do peito cobiçoso e sitibundo,

Que, por tomar o alheio, o miserando

Povo aventura às penas do Profundo,

Deixando tantas mães, tantas esposas,

Sem filhos, sem maridos, desditosas.


45 «O vencedor Joane esteve os dias

Costumados no campo, em grande glória;

Com ofertas, despois, e romarias,

As graças deu a Quem lhe deu vitória.

Mas Nuno, que não quer por outras vias

Entre as gentes deixar de si memória

Senão por armas sempre soberanas,

Pera as terras se passa Transtaganas.

Os Lusíadas de Luís de Camões: (IV, 28); (IV, 30); (IV, 44); (IV, 45)

Imagem: Moedas de 25 e 100 escudos, da autoria de Clara Meneres, emitidas em 1985 para comemorar os 600 anos da batalha de Aljubarrota.

1 Comentários:

Às 15/8/07 , Blogger G.R. disse...

Claro, sem esquecer os milhões que, por todo o mundo, festejam a vitória do Benfica.

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial