O Escudo

Moedas, selos, histórias do quotidiano e outros coleccionáveis.

quinta-feira, fevereiro 01, 2007

A Numismática no reinado de D. Carlos I

O Rei D. Carlos I, nasceu no dia 28 de Setembro de 1863 e morreu, assassinado, em Lisboa, no dia 01 de Fevereiro de 1908.
Foi no reinado de D. Carlos I, que o Banco de Portugal ganhou o estatuto de única entidade emissora de notas e moedas. As cunhagens de moeda são feitas na Casa da Moeda de Lisboa onde, juntamente com as moedas nacionais, foi cunhado cobre para os Açores e prata e cobre para a Índia.
Em Timor foi aplicado às patacas (pesos mexicanos) um carimbo, com a forma da cruz de Cristo, para tentar suster a entrada de moeda falsa. Este carimbo tem a particularidade de ter sido o último carimbo oficial a ser suportado por uma moeda que haja tido curso legal no território português.
Durante o reinado de D. Carlos as moedas em ouro deixaram de ser espécies correntes. No entanto, em 1895 teriam sido cunhadas algumas peças de 5000 reis, as quais se destinariam a ser utilizadas na cerimónia do lançamento dos alicerces da estação ferroviária de S. Bento, no Porto. Algumas destas moedas teriam sido colocadas juntamente com a primeira pedra. O “Livro das Moedas de Portugal – Volume II” de J. Ferraro Vaz, aponta para a existência de um exemplar destas moedas.
Segundo uma Lei e 30 de Junho de 1891, as moedas francesas de prata de um Franco tiveram, temporariamente, curso legal em Portugal, pelo valor de 200 reis.
Em 1898, aquando da celebração dos IV Centenário da Descoberta do Caminho Marítimo para a Índia, foi cunhada uma série de 3 moedas em prata. Esta série era composta por uma moeda de 200 reis (2 tostões), que teve uma emissão de 250.000 exemplares, uma moeda de 500 reis (5 tostões) e uma moeda de 1.000 reis (10 tostões), as quais tiveram uma emissão de 300.000 exemplares. As moedas comemorativas da descoberta da Índia, como a que se pode ver pela imagem, são exemplares de grande beleza. Posso afirmar que foi graças a uma moeda desta série, a de 200 reis, que o meu pai guardava religiosamente numa gaveta do seu quarto, que eu me apaixonei pela numismática.

7 Comentários:

Às 2/2/07 , Blogger Jorge P.G. disse...

Olá, temos um numismata!

Quem se interessava muito pela numismática era o meu pai. Ainda me lembro de guardarmos todas as moedas de 1 escudo de 1935 que nos apareciam. Tenho muita coisa guardada, mas não lhe dou grande crédito, pois as moedas têm um valor de catálogo que não corresponde ao seu valor real se as fores transacionar numa loja. O valor é dado pelo coleccionador e, por isso, o catálogo de Ferraro Vaz que referes, e de que possuo algumas edições, é, como os outros, um simples ponto de referência para transições entre coleccionadores. Não creio que possua alguma raridade, moedas de ouro não tenho, mas há algumas interessantíssimas pela antiguidade.

Um abraço.

 
Às 3/2/07 , Blogger Dae-su Oh disse...

Saudades do meu antigo escudo, já fui coleccionador de moedas em jovem, mas era preciso ter muito dinheiro, para ter uma colecção decente, dediquei-me então aos videojogos. :)

 
Às 4/2/07 , Blogger G.R. disse...

Jorge,
A numismática para mim é um divertimento, não uma forma de investimento.
Para mim, as moedas são como minúsculas peças do puzzle gigante da história da humanidade. No fundo, tu podes aprender muito sobre a história de um país através do estudo e do conhecimento das suas moedas. Olha, digamos que quando olhas para as moedas, é como se estivesses a ler um livro aos quadradinhos (neste caso, aos círculos) sobre história.
Quanto ao livro a que faço referência, não deve ser o mesmo que tu estás a pensar. Trata-se de um livro, em dois volumes, de 1969, que alia a história e a numismática de uma forma muito interessante.
Abraço!

 
Às 4/2/07 , Blogger G.R. disse...

Dae-Su Oh,
Essa teve piada!
Mas tu já não deves comprar videojogos há muito tempo, se não sabias que pelo preço de um jogo podias valorizar a tua colecção com uma ou duas moedas interessantes. ;>)
Abraço!

 
Às 9/2/07 , Blogger JOSÉ SILVA disse...

Hmmm... ali o Jorge juntou muitas moedinhas de um escudo, e de 1935!... Felizardo, isso é que foi acertar "na mouche"! E é verdade que a numismática nos ensina muita História. Eu que o diga: tudo o que sei de história, ou quase tudo, aprendi-o com as moedas. Abençoadas sejam para toda a eternidade!

Abraço.

 
Às 21/5/09 , Blogger joao cunha disse...

Boa tarde agradecia que alguem com conhecimento da moeda de D.CarlosI de1891 me desse mais ou menos o preço estou a pensar em comprar uma pela razão muito especial obrigado

 
Às 21/5/09 , Blogger G.R. disse...

Caro João Cunha,

Deve ser mais especifico na sua questão. Pois, existem várias moedas, do Reinado de D.Carlos I, do ano 1891: 10 e 20 reis de bronze; 100, 200 e 500 réis de prata;
Estou em querer que encontrará, com relativa facilidade, qualquer destas moedas numa casa de numismática a preço acessível. Contudo, tudo depende do estado de conservação da moeda que pretende adquirir.

Espero ter ajudado.

Volte sempre!

 

Enviar um comentário

Subscrever Enviar comentários [Atom]

<< Página inicial